Novidades
Nessa seção você se informa sobre os últimos recursos da angiologia atual.
  • Data: Setembro, 2015
  • Autor: Dr. Eduardo Sisterolli
  • Categoria: Varizes
  • Comentários: 0
  • Data: Setembro, 2015
  • Autor: Dr. Eduardo Sisterolli
  • Categoria: Varizes
  • Comentários: 0
A cirurgia de varizes à Laser é uma realidade há alguns anos e se firmou como uma evolução no tratamento das varizes mais calibrosas, principalmente no caso das safenas doentes, que eram anteriormente sanadas pelo método tradicional onde, por meio da introdução intravenosa de um cabo metálico, eram extraídas traumaticamente através de dois cortes, feitos em lugares diversos do membro inferior.

O laser, além de isentar o paciente dos cortes e das cicatrizes pós-operatórias, na completa maioria dos casos, evita a lesão de linfáticos e nervos de localização próxima às safenas extirpadas.

O laser antigo, de primeira geração, usava um comprimento de onda de 980nm, com afinidade pelas hemácias, o que gerava calor excessivo, necessitando de infiltração perivenosa de soro gelado ao lado da veias, para que fossem evitadas lesões das estruturas vizinhas. O laser de segunda geração, o que estou utilizando agora no meu serviço, tem um comprimento de onda de 1470nm, com afinidade pelo H2O (água) intra-celular da parede venosa, o que exige menor potência dos pulsos laser, com menor geração de calor e maior efetividade do método, com diminuição das recanalizações venosas pós-terapêuticas e ausência de lesões das estruturas perivenosas. Isso, combinado ao uso das novas fibras de emissão radial de laser, tornaram-no a opção preferencial e o método padrão ouro para o tratamento das insuficiências das safenas e de certos tipos de varizes calibrosas.

Saiba mais ...

  • Data: Setembro, 2015
  • Autor: Dr. Eduardo Sisterolli
  • Categoria: Varizes
  • Comentários: 0

O laser para tratamento endovenoso das varizes utiliza-se de uma fibra óptica, que é introduzida no interior das veias dilatadas, com a finalidade de serem aplicados os pulsos laser e consequente eliminação das mesmas. O método gera calor e exige cuidado para que esse calor não seja transmitido para as estruturas vizinhas, afim de que as mesmas não sejam lesadas. As primeiras fibras laser eram lineares e emitiam o feixe laser apenas em uma direção, o que demandava o uso de maior potência nos pulsos, com maior geração de calor. As novas fibras laser de emissão radial transmitem os feixes laser em direções múltiplas de 360 graus, o que possibilita o uso de baixa potência, com menor geração de calor e ausência de lesões das estruturas próximas, como nervos e linfáticos. Essa é a fibra que utilizo atualmente.

  • Data: Setembro, 2015
  • Autor: Dr. Eduardo Sisterolli
  • Categoria: Varizes
  • Comentários: 0

Passamos por um período fértil em novidades médicas e tratamentos inovadores, direcionados para a eliminação das indesejáveis varizes. São métodos que objetivam tratar esse mal de maneira eficaz, aliando um efetivo resultado funcional a um excelente resultado estético. É importante que a paciente tenha conhecimento de todas as opções terapêuticas disponíveis para a eliminação das varizes que, além dos incômodos estéticos, podem gerar graves consequências para a saúde. Nesse site, disponibilizo dados sobre a patologia varicosa, tratamentos disponíveis e os procedimentos terapêuticos que adoto preferencialmente em meu serviço.

  • Data: Setembro, 2015
  • Autor: Dr. Eduardo Sisterolli
  • Categoria: Varizes
  • Comentários: 0

Várias modalidades de tratamento das varizes tem surgido nos últimos tempos e gerado inúmeras dúvidas. É necessário esclarecer que cada caso é manuseado de uma maneira específica. Em algumas situações, a microespuma e o laser são utilizados e tem um bom resultado, em outras eles são completamente contra-indicados. A paciente que detem noções sobre todos esses arsenais terapêuticos e de suas respectivas indicações, pode ter uma ideia das opções disponíveis para o sua situação.

  • Data: Setembro, 2015
  • Autor: Dr. Eduardo Sisterolli
  • Categoria: Varizes
  • Comentários: 0

Um dos maiores avanços experimentados pela flebologia (sub-ramo da angiologia que estuda e trata as veias) foi o surgimento do Ecodoppler Colorido Venoso, também denominado Ecografia Colorida Venosa ou Duplex Scan Venoso. Esse método não invasivo (não utiliza agulha ou qualquer tipo de contraste) substituiu a antiga flebografia venosa, que era um procedimento invasivo onde, por meio de uma agulha, eram injetadas quantidades variáveis de contraste iodado, em uma veia do pé sendo, após isso, o sistema venoso avaliado mediante chapas radiográficas sequenciais, usando-se um aparelho conhecido por seriógrafo; a flebografia estava sujeita a inúmeras complicações.

Com o advento da Ecografia Colorida Venosa, tornou-se possível o mapeamento preciso das veias, detectando-se a origem ou as origens da patologia varicosa, onde válvulas venosas defeituosas provocam o denominado 'refluxo' e consequente dilatação e estase venosa (dificuldade na circulação venosa). Com isso, as cirurgias e outros procedimentos vasculares se tornaram mais efetivos, evitando-se intervenções desnecessárias ou mesmo direcionando-as para um melhor resultado terapêutico.

Saiba mais ...

Você pode nos contatar pelos seguintes meios::

A Clínica Venno foi inaugurada em 2011, dirigida ao manejo das varizes dos membros inferiores, desde o diagnóstico até o tratamento final.

Dr. Eduardo Sisterolli é o Angiologista, Cirurgião Vascular e Ecografista responsável, com títulos pelo Conselho Federal de Medicina, Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular e Colégio Brasileiro de Radiologia.